Boletim Brasileiro de Educação Física
http://boletimef.org

 Pesquisa personalizada

| 日本語 | Ελληνικά | Català | Deutsch | English | Español | Français | Italiano | Nederlands |
 
  Quem somos
  Fórum
  Boletim
  Biblioteca Digital
  Currículos
  Links
  Lançamentos
  Eventos
  Contato
  Assinatura
 
 
  Acompanhe o
  BoletimEF no:
Acompanhe as últimas notícias do BoletimEF no Twitter
Participe da comunidade do BoletimEF no Orkut
 
 -Assinatura
Cadastre seu e-mail para receber gratuitamente o Boletim
 
 -Apoio
CBCE
EEFD/UFRJ
 
 

Treinamento de saltos e de velocidade em atletas de basquetebol para a melhoria da performance neuromuscular

Como citar este trabalho:
MORAES, Anderson Marques de. Treinamento de saltos e de velocidade em atletas de basquetebol infantil masculino para a melhoria da performance neuromuscular. 2003. 111 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Metodista de Piraciba, Piracicaba, 2003.
> Resumo  > Abstract  
O objetivo desta pesquisa foi propo um tipo de treinamento de saltos aliados ao desenvolvimento da velocidade, para melhorar a performance neuromuscular em atletas de basquetebol, observando: a) a melhora da potencia dos membros inferiores; b) a velocidade nos 35 metros. A amostra foi composta por 10 (dez) jogadores do sexo masculino, categoria infantil (com idade variando entre 15 e 15,9 anos, com média de 15,4 ano), pertencentes à equipe de basquetebol do clube Campineiro de Regatas de Natação - SP. Para controlar a dinâmica de alteração em controle, RAST. (Running-based Anaerobic Sprint Test - Teste baseado na corrida anaeróbia de curta duração). O RAST. consiste em o atleta percorrer 6 (seis) tiros de 35 metros na maior velocidade possível, sendo que ocorre um intervalo entre os tiros de 10 segundos, Teste de Velocidade de 35m (VEL) - foi considerado o melhor tempo do teste de RAST., Teste de Salto Vertical (SV) - com o atleta parado posicionado lateralmente ao plano frontal da tabela de bqsquetebol, com os pés paralelos e executava o salto podendo utilizar o auxílio dos braços, tentando atingir a altura máxima com uma das mãos tocando os dedos na tabela. Foram executadas três tentativas e doi considerada para comparação a maior altura obtida nos três saltos, o Teste de Salto Pliométrico (SP) - onde foram utilizadas caixas de madeira (plinto) colocadas a 35cm da projeção do plano frontal da tabela, cada atleta realizou duas quedas de cada caixa com as respectivas alturas: 1ª = 20cm, 2ª = 40cm e 3ª = 60cm, executando o salto contra-lateral no menos tempo possível de contato com os pés no solo, foi permitido a utilização dos braços e Teste de Salto Sêxtuplo (Ssex) onde foram executados três tentativas, cada atleta se posicionou com os pés em afastamento antero-posterior sem queimar a linha de saída e executaram seis saltos com as pernas alternadas, sendo a melhor marca registrada, a partir da parte posterior do último pé colocado no solo. Os resultados obtidos foram analisados utilizando-se, média, desvio padrão e porcentagem. Para o teste de variância estatística foi utilizado o método de ANOVA, onde para valores de "P" < do que 0,05 pode-se concluir que os valores das amostras são estatisticamente diferentes. A análise feita das alteações funcionais ocorridas nos permite afirmar que a eficácia do sistema de treinamento de saltos e de velocidade proposto para o basquetebol melhorou a performance neuromuscular dos atletas. Observou-se um incremento da velocidade dos mesmos, mostrando que o período especificado dentro do programa respeita as condições necessárias para o desenvolvimento dessa capacidade. Os trabalhos de salto e de velocidade conduzem a uma melhora da potência dos membros inferiores. No segundo teste (7ª semana) observou-se uma queda nos resultados de alguns testes (RAST e VEL), isso se justifica pela resposta (adaptação) aos estímulos propostos na primeira etapa de treinamento.
 

Download do trabalho completo






 
 
Copyright© 2001-2014 Boletim Brasileiro de Educação Física BoletimEF - Home Topo